Pogue Collection, o acervo de 300 milhões de dólares

A coleção Pogue, de moedas americanas, avaliada em 300 (trezentos) milhões de dólares, foi a leilão. A partir deste ano, tem início a segunda parte do leilão da maior coleção de moedas americanas jamais vista. De tão grande e rara, os leilões estão sendo divididos em diversas seções, compreendendo o período que vai de 2015 a 2017.
Foi apresentada ao público como “a mais valiosa coleção de moedas americanas federais já formada.” Devido à sua magnitude e importância, uma empresa numismática irá destinar uma publicação dividida em três volumes, inteiramente dedicados ao acervo da família Pogue.

Avaliada entre 300 e 350 milhões de dólares, a coleção conta com os mais belos e significativos exemplares de moedas americanas, reunidos ao longo de mais de três décadas pelo magnata imobiliário A. Mack Pogue e seu filho, D. Brent Pogue. A coleção se concentra em moedas de cobre, prata e ouro desde o início dos anos 1790 até o final da década de 1830.


Para se ter uma noção precisa de como as peças brasileiras ainda estão cotadas abaixo do seu real valor. Contudo, com a abertura do mercado globalizado, e com o crescente interesse de estrangeiros nas moedas brasileiras, nossas moedas só tendem a valorizar cada vez mais. A Numismática sempre foi um hobby custoso. Agora com a globalização e as facilidades de comunicação criadas pela internet, o mercado regulador fará, com certeza, com que os preços das moedas brasileiras atinjam seu merecido patamar.
Não só entre numismatas, mas também entre investidores, as moedas tem, cada vez mais, demonstrado ser um seguro refúgio patrimonial, principalmente no atual mundo de incertezas, onde fortunas inteiras se perdem da noite para o dia.

Os melhores lotes da segunda parte do leilão da Pogue Collection ... clique aqui.